5 razões para investir em campanhas de mobile marketing

Estamos em um momento de crescimento do mercado mobile no Brasil. O mais recente relatório divulgado pela Anatel mostra que já são mais de 264 milhões de acessos à telefonia móvel. Um número crescente e que movimenta o mercado de aparelhos e planos, mas que impulsiona também setores que circundam esse negócio, como é o caso da marketing mobile.

Embora seja algo novo, já podemos falar sobre a aceitação do público brasileiro. Segundo o site do Our Mobile Planet, os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Mato Grosso e o Distrito Federal já possuem um número de celulares maior que o número de habitantes. 70% dos brasileiros pretendem trocar de celular nos próximos seis meses e a conta mensal da telefonia móvel do brasileiro é em media R$107,00. Com isso a publicidade móvel só cresce. Segundo um estudo da eMarketer, e não por acaso, hoje no Brasil são investidos  mais de US$ 41 milhões com publicidade móvel. A prova de que isso funciona está na efetividade das ações e nos resultados, claro.
Mas afinal, o que levaria agências de publicidade e de marketing a investirem em campanhas de mobile marketing? Conheça cinco razões para apostar nesse modalidade de comunicação empresarial, ainda em busca de crescimento do serviço no País.
Hipersegmentação: A segmentação no mundo mobile é uma realidade e potencializa os resultados dos anunciantes. Hoje é possível impactar o consumidor de acordo com o perfil de consumo nas diversas plataformas móveis, desde o consumidor que possui um smartphone que acaba de ser lançado até um “feature phone” – celulares que não são smartphones, porém possui diversas funções. Com inteligência mobile sabemos quem são os consumidores, o que acessam e onde estão, com isso conseguimos impactá-los de forma assertiva e com resultado. A hipersegmentação pode ser aplicada em diferentes meios, do SMS ao uso de aplicativos.
Agilidade: As campanhas mobile “off deck” – anúncios em portais que aparecem apenas quando acessados de aparelhos moveis e normalmente direcionaram o usuário para um site otimizado para o celular – seguem a agilidade das ações on line e em poucas horas o anunciante estará no ar, “conversando” diretamente com milhares de pessoas. É possível programar campanhas de advertising “Display Mobile” em portais e adnetworks de forma rápida e eficiente. Já as campanhas que necessitam de aprovação das operadoras, como por exemplo, uma ação de SMS Marketing demanda em média dois dias úteis para liberação.
Personalização: Mobile marketing não são mensagens publicitárias, são diálogos. O sucesso de cada campanha de mobile marketing depende da forma pessoal e individual como são tratados os públicos-alvos. Sem esquecer que os celulares são itens pessoais, sendo assim não podemos ser invasivos. A personalização é fundamental para se ter bons resultados.
Mensuração: Um dos maiores problemas que empresas e agências encontram ao investirem em uma nova mídia – como o mobile marketing – é de conseguir medir a efetividade das campanhas. Em mobile marketing isso já é possível, principalmente se comparado a outras mídias de marketing direto. Vamos usar como exemplo o envio de SMS.
Hoje, existem ferramentas específicas que ajudam a mensurar os resultados e entregar relatórios valiosos para os clientes e anunciantes, recebendo feedbacks sobre: quando houve o acesso, onde foi realizado, em que modelo de aparelho, quantas vezes o consumidor visualizou o conteúdo, além de outras importantes informações que ajudam na análise e mensuração das campanhas.
Mobile não é caro: Quanto custa para o anunciante atingir o público certo na hora certa e ainda ter 97% de taxa de visualização? Quanto custa para desenvolver um aplicativo? Pois bem, esse tipo custo pode ser muito mais barato do que se imagina. Comparado-se às tradicionais mídias de marketing direto, o mobile marketing chega a custar 300% menos, e tem taxas de retorno que podem ser 3 vezes maiores que outras mídias. O desenvolvimento de aplicativos podem variar de preço, dependendo da complexibilidade, porém podemos fazer um cálculo inverso. Quanto custa para a suaempresa estar presente no dia-a-dia dos clientes / consumidores e poder se relacionar o momento que desejar? Basta fazer essa análise e irá verificar que o custo para o desenvolvimento de um aplicativo não é tão caro como se pensava.
Por Gustavo Luveiro, sócio e diretor de Marketing da Kanamobi e professor da São Paulo Digital School.